sábado, 16 de junho de 2012

Sweet

Em casa dos meus pais, acorda-se com o canto dos passarinhos ou com eles a baterem com o bico nos vidros da janela do quarto. Ouvem-se carros a passar só de vez em quando e cheira a café logo de manhã. O meu pai bate à porta do meu quarto antes de sair e, se eu estiver a dormir, dá-me um beijinho na testa. A minha mãe pergunta o que se quer para o almoço, põe flores novas nas jarras e corta os morangos em quatro, juntando-lhe um bocadinho de açúcar. O mano preguiça até tarde e quando acorda está quentinho e meloso, dando beijinhos e xis sem resmungar. Eu acordo bem depois da hora a que devia, vou à varanda da cozinha, falo com os cães e ponho-me a corrigir provas. Estava-se melhor a fazer outra coisa, mas tem de ser e o que tem de ser tem muita força.

3 comentários: