quinta-feira, 30 de abril de 2009

terça-feira, 28 de abril de 2009

Constatação


Às vezes, o conforto de uma dúvida adiada mói até as certezas mais desejadas. Se a dúvida se eterniza num jogo de significados e enigmas... se o que se alimenta é o deleite de uma alma passiva... se o que acena são encruzilhadas... se o que é dito não é e o que não se faz não muda... se há bastar nas respirações suspensas... se as corridas são pelo mesmo e não por mais e se os descansos fazem sentido, um dia o conforto esgota-se nele. E perece. E deixa vago o espaço que prometia. E se no vagar das horas e dos dias e das semanas e dos meses e dos anos o que resta é só uma dúvida sem conforto, assim despida de vontade, então o espaço vago não se fina. E é tudo falta o que lá cabe. E se o tempo esmorecer e o espaço minguar, as esperas deitam-se fora, os desejos emudecem, as certezas desaparecem. Tenho pena. Mas tenho mais pressa.

Verdades e assim-assim

Verdade: Há os amigos e há o resto das pessoas. Nunca os confundas.

domingo, 26 de abril de 2009

Se não, não vale a pena!

Tem de ser tão único e especial que te apeteça ao fim de anos e lutas e contratempos e mágoas e palavras impensadas. Tem de ser tão teu como cada parte de ti. Tem de te pertencer como o ar e faltar-te como ele se não está, mesmo estando. Tem de perder-se em ti e fazer com que te percas. Tem de te recuperar das horas findas. Tem de conhecer-te a felicidade pelo tom com que dizes "nada" e a tristeza escondida dentro de um sorriso. Tem de saber calar-se quando te adivinhar fome de silêncio. E falar-te baixinho quando sonhares que te conquiste mais uma vez. Tem de se aborrecer quando te demorares na escolha do vestido. E tem de abrir num largo abraço quando decidires que só te apetece usar jeans. Tem de reparar na madeixa que pintaste um tom abaixo e na tentativa suada de aumentar um cm aos saltos. Tem de dedicar-te os dias, agradecendo, de olhos e boca cerrados, mas o peito em voz branda, o dia que amanhece ao teu lado. E tem de ver-te dormir com vontade de te deixar para sempre serena, porque toda inteira sua. Tem de sonhar-te mãe e avó de cada filho ou neto seu. E tem de estar certo que só fará sentido assim e que a vida dele será a tua. Tem de emocionar-se com cada sucesso teu. E lutar por muitos para te poder dedicá-los nem que seja no tempo que passará a mais contigo. Tem de querer contruir-se todos os dias mais um bocadinho e saber que há coisas novas para aprender no amor. Tem de te ter certa e sentir que, genuinamente, merece. E tem de querer, mais do que tudo, ser-te todo. Tem de gostar de uma lareira acesa no inverno, de pipocas no sofá, de bonecos de neve e de passeios à beira de muitos mares. Tem de eleger-te razão de ser. E tem de ser feliz com essa escolha. Tem de amar-te doente. E tem de secar-te as lágrimas quando o amares a ele doente. Tem de saber o que toca no teu carro. E tem de te prever pelo aroma. E tem de te conhecer cada linha, sinal, curva ou cicatriz. E tem de as decorar e reconhecê-las em cada mulher em que te transformes. Tem de viver para estar contigo, porque isso lhe parece que é sinónimo de viver para ser feliz. E tem de saber disso e nunca se arrepender. Tem de ser ele mesmo. E chorar e rir, mas nunca desistir, mesmo que não desistir signifique apenas começar. Depois, no caminho, tu, deves dar-lhe ambas as mãos e a vida toda. Para seres a sua mulher e ele ser o teu homem. Se não, não vale a pena!

Manifesto

Ando um bocadinho atrapalhada...
Mas gostava só de dizer que:
- eu não gosto nada, mesmo nada, mas mesmo nadinha, de quem não tem coragem para ser directo mas manda bocas a ver se colam. Sobretudo se as pessoas em causa forem do género "ora deixa-me cá aparecer com ar de "tudo me deve e ninguém me paga" para não se esquecerem de mim mas terem muita peninha e os tótós que trabalhem". Basicamente, acho que isto é de gente que merece ir para a cama descalça. E espero que a vida um dia lhes prove, por A + B, que não há só tótós no Mundo e que às vezes há quem tenha uma certa vontade de desatar aos berros perante a figurinha.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Santos da casa

SANTA IGNORÂNCIA

Viva, ao menos, menos mal

Segundo a minha O.

- Ora bem... pois, já vi. Tá... Oh pá... f#$%-&$! Eh pá... espera. Nããã... espera... por a coisa à consideração da multi-opticas?! Oh... não... espera... já sei... algo mais radical... Enfiá-lo num barco roto em alto mar e ficar de cá a acenar. Com a aflição, pode ser que apure a vista :)

Autoscopia 2

Ah... e isto para já não mencionar que tenho um único tique... que é...
...
...
...
FOFO!

Autoscopia

Estou a recuperar do susto de ter ouvido a minha voz no filme!

Sou um tudo-nada aguda!

Ah... e não é propriamente espectacular saber que mesmo a apresentar um tema sério sou... querida! Amiguinhos... não é o objectivo! O objectivo... o que me deixaria assim feliz e contente e realizada era que tivessem dito que eu era profissional, técnica, rigorosa... Agora, querida... querida, para aquele efeito, não faço grande questão de ser...

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Diz que

hoje vou passar, literalmente, ao lado de uma carreira na rádio!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Daqui: http://icanread.tumblr.com

Oh pá...

o meu editor disse que era com muito gosto que me recebia na "família" dos seus autores :)
Bem... estou um bocadinho emocionada e completamente rendida!!!

Proponho

a criação de uns "julgados de guerra" para dirimir os conflitos entre o nosso Primeiro e a TVI.

Lá no CAP

Fiz hoje a minha primeira autoscopia!
É um exercício de 10 minutos, em que temos de ensinar alguma coisa ao grupo.
Dei dicas sobre como poupar água... mas não resisti a ameaçar, antes de começar, que ia falar-lhes de regimes matrimoniais!!!

Já agora: aquilo é filmado... e amanhã vamos ver as gravações para perceber os erros! Logo vos conto!

Idade das inconsequências

Hoje, enquanto lanchava no bar da minha faculdade, não pude deixar de me rir com o grupo de alunos que jogava à verdade ou consequência.
Riam-se baixo, mas falavam alto. E quando chegou um colega e perguntou o que estavam a fazer, tiveram a distinta lata de dizer que jogavam um jogo sexual.
A pergunta seguinte ainda a ouvi: "Tu, X, esta semana já... ? Tu sabes... Aquilo... Sabes... aquilo?"
Depois já não ouvi a resposta. Precisava sair para me poder rir à vontadinha!!!
Estou a vê-los jogar isto daqui a um ano na sala dos advogados do Palácio da Justiça na Sofia!!!

terça-feira, 21 de abril de 2009

Há limites

para tudo... até para a minha paciência contigo!
Voltarmos ao "você", por exemplo, é coisa para me deixar um tudo-nada estarrecida!

No prelo

São 3 e meia da manhã, mas tinha de vir aqui dizer que acabo de enviar a bendita tese para o editor :)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Happy woman

Eu




tive




inglês :)




E




além de amanhã tenho outra vez!!!

CAP

Hoje começo a fazer o CAP. Carrego comigo uma secreta esperança que ele me dê o que uma licenciatura e um mestrado teimam em negar-me: estabilidade para procurar um T2, com muita luz natural e espaço para uma rede e ver crescer alegrias e amores-perfeitos, num sítio que eu cá sei!

Pelos astros

esta semana, ou vai, ou vai!!!

domingo, 19 de abril de 2009

Tiradas à sorte

Quando o Mundo já quase se havia recomposto da novidade de que o preservativo não é a solução para a sida e pode até aumentar o problema, vêm recordar-nos que, vai-se a ver, ainda por cima, o dito é falível!
Senhores (vénia, neste momento):
Será possível, por uma fracção de segundo, pensarem no sexo sem o associarem a um pecado mortal?
Será possível verem as mulheres como mais do que portadoras de ventres?
Será possível imaginarem os homens para além dos seus espermatozoides fecundantes?
Será possível conceberem o prazer como uma coisa boa?
Será possível imaginarem o amor e a busca dele pelo tempo que for preciso e pelos caminhos que surgirem, tortos ou a direito?
Será possível uma ponderação de sacrifícios que vos inunde de vontade de apresentar soluções e evitar criar mais problemas?
Será, Senhores?!
Confesso-me católica, educada segundo todos os ritos e tradições. Apesar disso, o tempo, a vida, o Mundo e a gente fizeram de mim um ser de alma tão livre que me permito calar na parte em que se repete "concebida sem pecado". Calo-me sempre nessa parte. Para mim e para o meu Deus não há pecado nenhum em conceber com amor. E baixo a cabeça quando vejo negar a comunhão a divorciados, quando diferenciam filhos de não casados, quando afastam pessoas boas por não serem crismadas. Baixo também a cabeça quando ouço coisas assim, tiradas à sorte. Porque o silêncio, às vezes, faz de nós melhores.

É grave

Fui passar o dia a casa de uns amigos... e levei o computador!

sábado, 18 de abril de 2009

Que animação

... mais um serão a caçar gralhas!!!

É

vontade. paciência. querer. bem. sempre. nunca. ficar. dúvida. retorno. lágrima. frio. riso. pranto. vida. sono. cegueira. fartura. míngua. lírio. de. é. canção. poema. melodia. cristal. natal. perfume. cheiro. aroma. mãos. toques. esboços. traços. pálido. soluço. gerânio. alegria. terra. doença. brinco. princesa. mensagem. negrume. tudo. é. nada. partitura. silêncio. grito. azul. porto. fumo. moda. lápis. envio. re. fora. jazz. morte. tombo. vida. zen. luta. paz. parte. todo. garrafa. novo. aéreo. praia. lonjura. quente. serão. dentro. é. sereno. brilhante. meninice. sonho. pérola. amor.

Eu hoje dava tudo

para que me raptassem para isto...

Wishlist

É o item 1 da Wishlist da minha C.
Mas eu também não me importava de dar um pulinho até lá!!!

Wishlist


sexta-feira, 17 de abril de 2009

Daqui: http://icanread.tumblr.com/

E se

E se, já sem forças, pedes só mais um sinal? E se, com a chuva a bater-te no vidro, os olhos baços de lágrimas e o coração em automático, te sorri o sol por entre as nuvens?

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Se souberes

Se souberes como fazer passar, conta-me com jeitinho. Devagar, devagarinho, para me ir passando aos pouquinhos. Assim agarrado ao fundo, deve custar mais a passar. Penso nisso para me desculpar. Para não desesperar. Se souberes como fazer passar, então conta-me... com jeitinho. Devagar, devagarinho. Não me grites, que não me passa. Não me inventes, que não me passa. Não me ignores. Talvez pudesse passar-me, mas não seria com jeitinho. Devagar, devagarinho, se passar pode não levar tudo atrás. Rasto de passagem, isso não. Sou muito mais que isso. E o que custa tanto a passar é muito mais que eu. Por isso, não. Se é para passar, mesmo, mesmo, que seja devagar, devagarinho, para me deixar ao menos metade de mim inteira. Não sei bem. Se souberes, contas-me com jeitinho?! Não me gritem. Nem me provem. Digam-me só como se faz para passar. Mesmo, mesmo. Sim, mesmo. Só a pensar, não passa. Digam lá. Se não, se não sabem, então calem-se. Não me gritem. Nem me provem. Deixem-me. Se não passar, se me finar em rasto de passagem, peço só que me deixem. E que... me deixem.

Para a C. (E.N.)


Pelo aniversário.
Pela companhia.
Pela "sem fantasia".
Uma caixa de sonhos!

Sem fantasia. Puro apetecer. Ficas?

video

Sou um bocadinho flor de estufa II

Sou uma flor tão reles, tão reles, tão reles, assim mesmo a atirar para o murcho com uma pinga de água a mais ou a menos, que nem tenho por que desviar os sabonetes dos hoteis, já que é certinho que me vão fazer alergia!

Sou um bocadinho flor de estufa I

Descobri uma pisadura no braço. Dei voltas a esta pobre cabeça... e cheguei à conclusão que é da pasta...

Ódio de estimação III

Gente que quer fazer de mim parva!

Ecco!


No... io non sono innamorata di te...

...

...

...

...

...

...

...


Io sono pazzamente innamorata di te!

Deve ser da altura...

Hoje o Mike perguntou-nos se alguém lia o horóscopo. Toda a gente, sem excepção, dos maiorais teachers de 60 e muitos aos putos do liceu, respondeu, prontamente, NÃO!

Eu, lembrando-me da patologia de até já ter uma astróloga de eleição, porque é a que nos compatibiliza mais os signos e me vai pedindo calma e serenidade, soltei a medo um SOMETIMES!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Enquanto





nada disto for distante, há tempo. São espaços. Sem nada. Só tempo para serem espaços. Ainda.

Hoje...

Jessica Alba
... parece que tenho inglês!
Daqui: http://icanread.tumblr.com/

terça-feira, 14 de abril de 2009

Apeteces

Apetecer, apetecer... apetece-me ficar à espera, até não me apetecer mais esperar. Mas li-te bem, pois li. E pareceu-me seres a madrugada. Sentei-me aqui bem cedo. Larguei tudo para trás. Sem medo. E desde então que não arredei pé daqui. Desde a madrugada que prometias. E nada. Passam outros, em ambas as direcções. Alguns pararam. Não ergui eu sequer a cabeça, toda posta no horário que me repete que és madrugada. Sabes lá o frio que está... Vim mal agasalhada. Sabia-te assim tardio e tinha posto um casaco por cima. Mas larguei tudo. E os outros. Casacos. Homens. Quis-me logo apetecer que eras madrugada em mim. Que era chegar e desandar daqui. Já em rumo ao dia claro, mais ou menos como as vidas a cores. E estou assim, convencida disso, desde que aqui me sentei. Apetecer, apetecer, sabes, apeteces-me. Apetecer, apetecer... ainda me apetece ficar. Mas caiu a noite devagar. Sem casaco, apetece-me menos. Se ao menos passasses. Mesmo de noite. Porque ia. Caladinha. E prometo. Lá adiante, havíamos de madrugar.

Ódio de estimação II

As toalhas de banho novas. Parecem impermeáveis. Não secam nada!

Coisas tontas ou de outras pontas

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"

Pára, escuta e vê!

Magritte
P.S. Mas "nada é mais potente contra o amor do que a impotência." (Samuel Butler)

TPM

Preciso que me amem e me sigam apesar dos defeitos e das falhas... Por isso, hoje é o dia 1 desta minha declaração solene. Há uma altura do mês em que sou menina para deitar uma lágrima a ouvir coisas assim!!! A inquieta emotividade por dá cá aquela palha dura uma semana, mas volta, sempre, implacável, no mês seguinte! É uma coisa que tento controlar nas restantes três semanas, condenando-me a leituras de clássicos ao som de Mozart, ajoelhada sobre milho! E a penitência envergonha-me perante o descrédito de todos os que me conhecem mesmo bem. Porque sou um bocadinho fanática por coisas tipo noites de 3.a na Queima das Fitas e Expofacic. Sou uma pessoa que não veste camisolas com as caras deles, porque a maleita não afecta o neurónio da estética dos trapinhos... Mas que comemorou o fim de curso a dançar de roda ao som do Quim e teve de conduzir descalça nessa noite... Sou uma pessoa que encaixou com jeito, na mesma noite, fado de Coimbra e um Karaoke que abriu com a música "Corazon partio" do mestre Alejandro! A coisa tem agravado com a idade! Temo ouvir Broa de Mel lá para os 40! Folgo em pensar nas 3 ansiadas gravidezes e nesses 27 meses de um irrepreensível gosto musical, em que não me afastarei do registo Opera!

Hoje deu-me para isto...

Sou só eu que acho estranho fazerem-se chamadas de capa sobre o menino criado pela avó, a galinha que pôs ovos com duas gemas, a estrela de TV que mudou de marido e o músico que canta, enquanto praticamente se ignora a reportagem de ontem sobre o caso Maddie?!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Mimos de Páscoa

Tenho de dizer que recebi um anel todo cheio de pendurezas das duas kikas manas afilhadas... E um beijinho um tudo-nada lambuzado de nesquik de cada lado!

AND

A L. entendeu que a minha cabeleireira anda a falhar e portanto passou a tarde de ontem a pentear-me. De cada vez que me apanhava um cabelo branco, dizia-me ao ouvido, acrescentando "Ponho-o para baixo, que ninguém vê!"

AND

D. "O que é publicar?"
Mams: "É a madrinha que vai escrever um livro."
D. "De histórias?"
Mams: "Mais ou menos."

Quadrilha

João amava Teresa
que amava Raimundo
que amava Maria
que amava Joaquim
que amava Lili
que não amava ninguém.

João foi para os Estados Unidos,
Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre,
Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e
Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade


Porque se pedires muito uma mensagem perfeita, acredita, mais cedo ou mais tarde, ela chega! Pode é não ser exactamente de onde desejarias! Logo, não basta rezares pelo conteúdo, e é melhor começares a perder algum tempo a informar os anjinhos dos correctos códigos postais!!!

Os conselhos da minha Ti C.

Ela: Ai, menina, não te cases, que anda aí um mal muito ruim a correr a mocidade que casa...
Eu: Um mal? Que mal?
Ela: Correm divórcio por tudo e por nada!

Uma família portuguesa, concerteza...

Ontem houve almoço em casa da avó. É Páscoa e a tradição manda ouvir cantar o galo à espera da cruz naquela casa, que o prior de lá é mais madrugador que os camaradas. Depois disso, que aquilo é aldeia que alberga grande parte da família, é correr capelinhas durante um bom par de horas. E há rituais, tipo não faltarem enguias fritas (nhac) em casa do tio Z. Pois bem... lá por volta das tantas da tarde, por ocasião do centésimo telefonema da matriarca a apelar à comparência da maltinha, a maltinha reúne. Ora, a maltinha reunindo, há coboiada certa. Porque a avó quer que se coma este mundo e mais metade do outro, o avô tem episódios de dúvida existencial sobre o que dar a bebericar e a maltinha quer mais é palrar. Portanto, a maltinha ouve-se na rua, que a maltinha é muita e não há lá mudos. Destes almoços retiro sempre uma conclusão. Umas mais prazerosas que outras, é certo, mas tudo coisas infalíveis. Pois bem, o almoço de ontem não é excepção. Concluo que só com muito AMOR, daquele assim de filme em que "sem ti nem respiro, porque tu és o meu ar... e o meu mar e o meu Mundo e eu quero-te só para mim, vá lá, vá lá, vá lá, que te amo... tanto... tantooooo", é que as donzelas daquela família desencalham. Passo a explicar. Aquilo são doze filhos, seis dos quais machos latinos. Ai de quem se meta à besta com uma menina sua ou de qualquer um dos manos. É vê-los chegar e inspeccionar de alto a baixo cada novo conviva, mais ou menos alinhados e a tirarem notas em folhas de papel milimétrico. Depois reúnem e sussuram, excluindo o único espécime do sexo masculino que ainda não foi à frente do Senhor consumar o sacramento. E nada de dizer que é como se ele já fosse família porque a moça anda tão feliz e ele até já fala em ficarem juntos toda a vida. Nã... que para ser da família o ilustre mancebo tem muito que dar à unha. Tenho para mim que para levar a mão de uma pérola da família terá de sujeitar-se e ser aprovado com excelente em provas de caça, tiro aos pratos, sueca, matrecos, armação de costelos e procura de gambuzinos. Isto, tal como vos disse, para lhe levar a mão. Para lhe levar o corpo todo, nada como atestar em papel azul vinte cinco linhas o cumprimento de pelo menos dez anos de tropa e a capacidade de desfazer vigas de ferro com as próprias mãos (se for com os dentes, é feito contrato promessa de ser eleito líder dos achadiços assim que fizer os primeiros três filhos). Quem vos relata tais procedimentos é a pérola mais difícil de desencalhar. Sobrinha preferida do tio mais velho (ele não esconde), afilhada do seguinte e filha do terceiro, é gaja para morrer solteira! Sinto-me, com as devidas distâncias, que nenhum deles cospe fogo, como aquela princesa que ficou presa nas masmorras! Tipo Fiona, topam?

sábado, 11 de abril de 2009


Modista

Terceira e última prova do vestido para o casamento da N.
Verdadeira choraminguisse pegada para me adaptar o outro que lá está para fazer de maneira a dar para, pelo menos, dois casamentos. Que lhe aplique coisas de tira e põe, que dê para lhe descoser a saia, que seja possível usar dos dois lados... não sei!!! Invente! Eu tenho seis casamentos e não vou mandar fazer seis vestidos diferentes. Portanto, é favor fazer o mesmo vestido render roupinha para umas quantas ocasiões!!!

No fim... já na fase dos ajustes do quase finito, a pérola:
- É impressionante como é tão estreitinha!

Eu, preocupada, quase em lágrimas, a despedir-me de todas as rendas e cetins escolhidinhos a dedo, agora à mercê daqueles olhos toscos... Sim... porque já vi pessoas serem operadas aos olhos a verem melhor! Eu e estreitinha são antónimos!

Tão distante se faz o perto

Nunca estive tão perto da verdade.
Sinto-a contra mim,
Sei que vou com ela.
Tantas vezes falei negando sempre,
esgotando todas as negações possíveis,
conduzindo-as ao cerco da verdade,
que hoje, côncavo tão côncavo,
sou inteiramente liso interiormente,
sou um aquário dos mares,
sou apenas um balão cheio dessa verdade do mundo.
Sei que vou com ela,
sinto-a contra mim, -
nunca estive tão perto da
verdade.

Jorge de Sena, in "Perseguição"

Wishlist


sexta-feira, 10 de abril de 2009

Ok!!!

Eu não ganho para casamentos!
Acabo de receber mais um convite... e vão 6! Seis, minha gente!
De 6 a 13 de Junho, tenho 3! Três, leram bem!!! Um no dia 6, um no dia 10 e um no dia 13!!!

Felizmente, tudo casórios de malta amiguinha, a que vai muita malta também muito amiguinha!!! Porque já não há pachorra para os casamentos da malta amiga, mas que é só nossa amiga e não amiga de mais amigo nenhum nosso e vai a pessoa desasada, linda de fazer corar as pedras dos passeios, a espalhar charme por eles e inveja por elas... mas solita de todo!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Miscelânea-resumo do dia de hoje

1) Há coisas que eu preferia nunca ouvir.
2) Algures na Argélia, há uma pessoa que lê este blog!!!
3) A C. tem um afilhado que substitui o ponto de exclamação pela expressão "puta que pariu" com sotaque americano :)
4) Há coisas que eu preferia nunca saber.
5) Há pessoas muito atadas neste Mundo. Se calha de se encontrarem dois atados, há possibilidade de passarem cerca de 8 meses entre a declaração de amor e o primeiro beijo.
6) Ver uma pessoa por quem já fomos muito apaixonados e não sentir se não frio por causa do vento diz muito de como aquilo acabou.
7) Há coisas que eu preferia nunca ver.
8) Há gente tãããããooooo chata!!!
9) Às vezes, é já mesmo tarde de mais. Não é uma questão de vingança. É uma questão de tempo.
10) Há um sítio em que quem entra como inválido, tarde ou nunca se valida!

Sem pensamento


Atrás não torna, nem, como Orfeu, volve
Sua face, Saturno.
Sua severa fronte reconhece
Só o lugar do futuro.
Não temos mais decerto que o instante
Em que o pensamos certo.
Não o pensemos, pois, mas o façamos
Certo sem pensamento.

Ricardo Reis, in "Odes"

O.

A opção está entre isto:

(Daqui: http://icanread.tumblr.com)

e isto:

http://www.youtube.com/watch?v=z56l7ZN2w0Q

Agora, escolhe e põe-te a caminho :)

Adenda

Tenho uma vizinha em pânico porque lhe chegou uma carta daquelas em que é preciso assinar um bocado de cartolina cor-de-rosa!

IRS

O meu sonho é estar em casa e perceber que há todo um vasto leque de pessoas que acha que lá no curso prá adbogada o que mais se estuda é preencher o IRS, reclamar do IRS, interpretar cartas sobre o IRS, contestar coimas do IRS!!! Já não posso ouvir falar em IRS! Eu, euzinha, euzinha que levo o meu ao contabilista para ele fazer!

Finito

Confirmas que acabou, mesmo, quando a pessoa pára na passadeira para te fazer uma festa e o pensamento se te desvia para o briol que estava hoje na praia!

Non sense

Quando ouço certas pessoas a dizerem "vou trabalhar", eu só consigo deitar as mãos à cabeça!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Vou rifar os gajos dos astros

"Hoje é um dia de confrontação com a realidade; alguns sonhos vão concretizar-se e fazê-lo feliz."

Era uma surpresa, Senhores! Surpresa! Sabem o que é uma surpresa? É uma coisa que não se anuncia! Que aparece... Como? De surpresa! Importam-se de não me estragar as surpresas?!
Tenho isto a tocar, em berros, no carro! Sou uma rapariga versátil, não se negue! Há duas semanas soava lá música clássica!

Vidas

R. trabalha, enfia a cabecinha na poeira dos livros e treina os dedinhos nas teclas do kiko portátil...
R. parece feliz...
R. não resmunga...
R. parece gostar...
...
...
...
Porque R. sabe que às cinco vai ter direito a bolo de chocolate!

Sinto-me um burro a perseguir uma cenoura!

E levava-me ao altar #1

Daqui: http://icanread.tumblr.com/

Queixinhas e azedumes


Existências mais que (im)perfeitas

Eu entreguei a tese, não entreguei?
Eu defendi-a, não defendi?
Eu passei, não passei?
...
...
...
Então por que carga de água é que ainda tenho de estar a trabalhar até esta hora?! E parece que em férias...
...
...
...
Volto à carga: haverá por aí um emprego das nove às cinco como esteticista? Prometo controlar-me e fazer poucos bifes à clientela!

terça-feira, 7 de abril de 2009

Cá está!

Daqui: http://icanread.tumblr.com

(Colecção Berardo - CCB)

Casamentos e outros quinhentos

Não há nada mais piroso que uma noiva com unhas de gel daquelas com joaninhas para condizer com as joaninhas coladas nas pétalas de todas as rosas vermelhas (nhac) do ramo. Ou melhor, há. A noiva pode sempre contribuir para a preservação de ninhos e construir um com a sua farta cabeleira, natural ou aos remendos. E a noiva pode decidir-se por jóias de plástico, tipo fio de pesca com enfiaduras de lantejoulas, porque os rubis são do tempo das avós e não se pode ir sem ser a condizer com as joaninhas. E a noiva pode levar umas sandálias com pendurezas vermelhas. E, quiçá, aceitar o desafio de entrar no Guiness como a mais enfeitada de todas as noivas e encomendar um vestido com pérolas vermelhas, iguais às que seguram os nomes das mesas no quadro de cortiça à entrada da Quinta. E podem ter escolhido uma música tipo "Eu sei, eu sei, és a linda portuguesa com quem eu quero casar... Já corri Mundo e não encontro outra igual com quem eu queira fica... A mais formosa, mais gostosa das mulheres que Deus pôde criar, ai a saudade e esperança de um dia voltar para te abraçar..." para o noivo lhe cantar depois do abraço da paz. E este pode ir de fraque reluzente para a cerimónia do meio dia. E os primos da terra podem ter todos mini fraques a condizer. E as meninas que os acompanham e completam o cortejo de infantes podem ir com o vestido da comunhão e com correntes que brilhem a cair pela testa abaixo. Para a coisa ser mesmo de sonho, eles podem ir de lua de mel para o Algarve, em Agosto. Aquela calmaria, aquele ar romântico emoldurado pelas camisolas de alças dos homens e os pareos gastos das mulheres, aquele por-do-sol visto pelas nesgas entre os chapéus ao som do pregão das bolas de Berlim só podem ajudar... E depois podem juntar-se a eles as respectivas famelgas, que eles assimcomássim têm a vida toda para falar e tá tudo mais ou menos em dia e é preciso conviver. Essa coisa de namorarem o silêncio e renderem-se a tardes infinitas só a contemplarem a vontade de se abraçarem é coisa de gente que não tem mais nada em que pensar. Quando chegam os convivas, aí sim... há passeatas até Espanha, aos parques aquáticos, carapaus a assar na brasa e todo o romantismo de panachés a clamar por mais. E lá para Setembro, se a semente for boa, já ela estará de barriga (de grávida) e ele contente a mandar sms aos amigos para comemorarem com um pires de tremoços. Pode ser lá em casa, para a patroa não se sentir sozinha. No fundo, ele é um romântico. E ela uma amorosa, menina para lhe dizer que não, não vale a pena. Vai sem te apoquentares. Fico aqui sem ralações. Até prefiro, que ao menos não há barulho à hora da novela. E assim vivem para sempre!

O drama, a tragédia, o horror... é vê-los cair que nem tordos. Àqueles e àquelas que há meia dúzia de anos juravam comigo que nunca na vida ia ser assim. Que, quando fosse, ia ser mágico. Que não ia haver cavalos na praia e velinhas a construir um caminho até ao "AMO-TE" escrito na areia, mas que andaria lá perto. O drama, a tragédia, o horror... é assistir caladinha. Porque não vale a pena. Tomaram-lhe o gosto. Espartilharam os sonhos. E ela quer a barriga e ele quer os tremoços. E é um amoroso se lhe lava o carro ao Domingo e não se chateia se ela for ao jantar do dia das mulheres. E ai de quem diga que não não é assim. Porque é delírio. Porque vê-se logo por que não casas. Porque disso não há. Porque mentaliza-te que não há mesmo nada para dizer ao fim de algum tempo. Então calem-se. Fiquem calados. Em silêncio. Juntinhos. Sozinhos. Só assim. De mãos dadas. Caladinhos. Até adormecerem. E acordarem. E perceberem como é bom estarem só ali pertinho. Tão juntinho. Assim quietinhos. E caladinhos. E... não. Não vale a pena. O que custa é vê-los assim. A eles e a elas. E perceber que não há-de faltar muito até não terem mesmo nada para se dizer. Porque amar, acho eu, que não percebo nada disto, também se treina. E é possível que se pensarem muito que ficar assim pertinho, caladinhos, só quietos e a sentirem-se é uma perda de tempo... isso um dia se transforme mesmo numa enorme perda do tempo deles.

Céus... livrai-me do fogo deste inferno!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Com o menino à esquerda :)


Para rematar...

Outro 6,

do 4!

Passados 3!

Falta o 5.

E as *****!

Já cá faltava...

A avó da R. acaba de ligar para saber se a R. por acaso não estava no sítio do sismo. Tente explicar-se à avó da R. que a R. não anda sempre fora e dentro... A R. já desistiu. A avó da R. concluiu com o apelo "Estuda por casa". É uma castiça!

Desejo a você…

Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Crônica de Rubem Braga
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Uma tarde amena
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.

Carlos Drummond de Andrade (via www.magnoliaviva.blogspot.com)

Private joke

Ela: Sabe quando esteve cá preso o Rei?
Ele: Não é do meu tempo. Acho que já foi há uma data de anos.

Eu podia ser feliz aqui