sábado, 10 de março de 2012

Os lorpas

De cada vez que penso/leio/ouço que os funcionários da TAP e da CGD receberão os vencimentos por inteiro, pergunto-me se o Governo nos toma por lorpas por estupidez ou por convicção mesmo.

4 comentários:

  1. Sinceramente acho que eles estão a ver até onde conseguem esticar a corda e enquanto nós não nos revoltarmos a sério, isto vai continuando assim...

    ResponderEliminar
  2. PT, no outro dia, um colega disse-me uma coisa que me deixou a pensar. Em Portugal, neste momento, vive-se o clima que precede as grandes tempestades.

    Sol de Dezembro... por acaso também acho e é isso que me deixa ainda mais furiosa.

    ResponderEliminar
  3. Pelo que ouvi ontem, já não são apenas esses dois casos, existe mais um. E ainda vão existir mais.

    O que me entristece é que nós é que somos os lorpas ou somos comprados como tal. A justificação do Miguel Relvas (não sei porquê, não consigo gostar dele) é de que a poupança será feita de outra forma e, no caso da TAP, tudo se justifica por estar em processo de privatização (como se alguém quisesse pegar naquilo). A minha pergunta é: não deveria a poupança ser feita em tudo o que fosse possível, ao invés de se traçarem metas?

    Quanto ao que o teu colega disse, não sei... A única revolução que vejo é mesmo pela mão dos militares, que estão a ser "hostilizados" (nas imensas regalias que possuem!). Porque nós nem somos árabes/africanos nem gregos...

    ResponderEliminar