quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Pontos de vista

Há quem tenha avançado a hipótese de sermos todos uma cambada de inúteis porque só isso permitiria que num dia, a meio da semana, por volta das onze da manhã, se conseguisse marcar um almoço de amigos para o meio dia e meio. Continuo a defender que não se trata de sermos inúteis, mas de sabermos todos dar valor a uma das melhores coisas que esta vida sem horários muito rígidos nos dá. A outra face da moeda é muito penosa, todos o sabemos. Ninguém com um emprego das nove às cinco consegue imaginar a angústia que é ter sempre o trabalho ali ao pé, nunca dar para o fechar numa gaveta, bater com a porta e esquecê-lo, perceber que ele não tem fim. Um investigador, sobretudo quando tem uma tese em mãos, não tem férias propriamente. Tem momentos em que fisicamente se ausenta da secretária. Mas o peso da responsabilidade está-nos colado à pele, por dentro. Come connosco, toma banho connosco, vai connosco à casa de banho, dorme connosco, está no cinema connosco, na praia connosco, às segundas, às terças, às quartas, às quintas, às sextas, aos sábados e aos domingos, as vinte e quatro horas dos dias. E isto é muito mau. Mas depois, apesar de tudo, ter a liberdade de estar numa vida profissional que permite reunir os amigos à pressa para um almocinho, isso, meus caros, é uma bolha de oxigénio emocional que não tem preço. E, nos dias melhores, reconhecer que se está a pensar, a ter uma ideia... ver uma ideia a nascer, isso... isso também vale ouro. São poucos os dias, mas são os melhores. E dão balanço para os outros todos, cheios de hesitações, medos e certezas de que se preferia bem mais ser outra coisa qualquer. Ando na fase em que lamento que o mundo, para ganhar um fraco remedeio de jurista, tenha perdido uma inexcedível esteticista. Fez-me bem este almoço. 

5 comentários:

  1. Dizem que também sou boa a organizar eventos...

    ResponderEliminar
  2. Estou a pensar em ir abrir o meu salão de cabeleireiro.. dividimos a renda, queres?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu tratas das jubas e eu das unhas. Vale?!

      :)

      Eliminar
  3. Também já pensei mudar de àrea. Ser jurista não dá com nada. Vou para os comes e bebes!

    ResponderEliminar